Estreia da semana: MAX STEEL (Max Steel)

max-steel-filmeA Mattel é uma gigante da indústria de brinquedos, todo mundo sabe. Entre seus produtos está a top Barbie, que há mais de meio século vem assumindo novas e coloridas versões, sempre adorada pela garotada.

Max Steel também está na linha de produção da Mattel, não só na forma de bonecos de plástico, mas também estrelando um longa-metragem que acaba de estrear nos cinemas brasileiros.

max-steel-bonecoTotalmente ignorante sobre a vida e hábitos do energizado super-herói, além daquela pesquisa básica pré-sessão, observei também os comentários dos experts a partir do trailer disponível na internet. E me parece que a versão para a tela grande das aventuras alienígenas de Max e Steel (sim, descobri que são dois) não está gerando grandes expectativas.

De fato, mesmo aqueles muito fãs da dupla Max e Steel que forem conferir o filme provavelmente sairão frustrados da sala de cinema. Um tanto confuso, especialmente para os pequenos (a indicação é para 10 anos), pode ser enfadonho para os menores e insatisfatório na condução da trama para os adultos. A história do garoto que se descobre dotado de poderes especiais que não consegue controlar até que é interessante. Max McGrath (Ben Winchell) é super protegido pela mãe (Maria Bello), que esconde dele fatos de seu passado. Mas o jovem não desiste de buscar a verdade sobre a morte do pai, um cientista morto prematuramente devido a um misterioso acidente durante suas pesquisas.

Não chegaria a dizer que no filme há muito barulho por nada (com a licença de Shakespeare), mas há muito barulho por pouca emoção e raras surpresas. Muitas sequências frenéticas, como manda a cartilha dos filmes de ação, closes, cortes rápidos.  A tal armadura bacana do Max só dá o ar da graça após mais de uma hora de projeção. Seu amiguinho alienígena, tecno-orgânico (como diz a sinopse) Steel, um misto de webcam com Mestre Yoda, garante alguns momentos divertidos. É mesmo fofo, admito. Steel é quem ajuda o adolescente Max a controlar e usar a energia gerada por seu corpo no combate aos malvados Ultralinks que, é claro, ameaçam a Terra.

max-e-steelBom mesmo é ver – e ouvir – Andy Garcia, totalmente sedutor no papel do muy amigo Dr. Miles Edwards. É puro clichê dizer que o ator é como um bom vinho, mas é verdade. Envelhece com charme e dignidade e, mesmo num filme comercial como Max Steel, marca presença e confere valor ao longa.

Não sei se houve intenção de fazer uma metáfora com os poderes concedidos especialmente aos jovens – já naturalmente carregados com a energia dos hormônios – pela tecnologia contemporânea. Há na trama a referência a um Copper Canyon (cânion do cobre) que me lembrou o Vale do Silício. Seja lá como for, me ocorreu que seria interessante esta analogia e que sempre é bem vindo um Mestre Yoda, mesmo com cara de webcam voadora, ajudando a moçada a canalizar suas energias e aparatos tecnológicos para a criatividade, a arte, a reflexão, o conhecimento, o bem comum.

Links:

https://www.imagemfilmes.com.br/principal/filme.aspx?filme=164371&titulo=max-steel

http://www.imdb.com/title/tt1472584/?ref_=ttfc_fc_tt

MAX STEEL (Max Steel )

EUA, 2016, 93 min

Direção: Stewart Hendler

Roteiro: Chistopher Yost

Aventura – infantil – 10 anos – Violência

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: